Janeiro: mais cor por favor!

05/01/2021 18:01:00

Diferenças entre as peles do homem, das mulheres e crianças demandam cuidados extras

por Daniela Zigante

Janeiro: mais cor por favor!

O verão é a estação das férias escolares, das atividades ao ar livre, das viagens e dos dias mais longos e ensolarados, ideal para pegarmos aquela corzinha maravilhosa. E aí é preciso tomar alguns cuidados com a pele, afinal, também é nesta estação do ano que a radiação solar incide com maior intensidade sobre a terra.

As informações principais são conhecidas: manter a pele hidratada, usar filtro solar, chapéus, roupas de algodão e evitar atividades ao ar livre das 10h às 16h. Além delas, cada tipo de pele exige atenção especial. A médica dermatologista Michelle Yoko Kiyomura nos deu outras dicas para termos uma pele bonita e saudável no verão. 

Diferenças entre as peles de homens, mulheres e crianças

Em primeiro lugar, é bom saber que há diferenças entre as peles dos homens, das mulheres e das crianças. Os homens, devido à ação da testosterona, possuem peles mais espessas e oleosas. Eles têm um maior número de glândulas sebáceas, com o dobro da produção de sebo. Também possuem mais colágeno, o que dá um aspecto compacto e firme, fazendo com que tenham o envelhecimento mais tardio.

As mulheres sofrem uma mudança hormonal brusca com a menopausa, com a perda de elasticidade e ressecamento. Já as crianças possuem uma imaturidade na barreira cutânea, o que provoca maior ressecamento e diminui a defesa contra microrganismos, além de ser mais suscetível a trauma e toxicidade por medicamentos tópicos.

Principais doenças de pele durante o verão e como evitá-las

Com a maior incidência de radiação solar aumentam os riscos de queimaduras solares, envelhecimento precoce e de câncer de pele. Além disso, pode haver micoses superficiais que demandam cuidados com hábitos de higiene, como secar-se muito bem após o banho, evitar andar descalço em locais úmidos, não ficar com roupas molhadas por muito tempo, utilizar sapatos ventilados e evitar roupas quentes, justas ou de tecidos sintéticos.

Há ainda alguns parasitas que são muito comuns nessa época do ano, principalmente para quem vai aproveitar a praia, como a larva conhecida como migrans, ou bicho geográfico, cuja contaminação se dá pelo contato direto da pele com areia frequentada por cães e gatos. A miliária, conhecida como brotoeja, é um problema de pele que causa dificuldades na transpiração e que combatemos utilizando roupas leves, não sintéticas e evitando atividades que causem aumento da transpiração, assim como ambientes quentes. Já as fitofotodermatoses são as queimaduras provocadas por limão, que prevenimos lavando com água e sabão as áreas que tiveram contato com substâncias sensibilizantes ao sol (figo, hibisco, perfumes etc.)

Como cuidar da pele neste período?

Uma forma de cuidar da pele no verão é utilizando um hidratante de textura leve, de preferência sem fragrância, para evitar possíveis alergias. Mesmo a pele oleosa deve ser hidratada (hidratação e oleosidade são coisas diferentes). O hidratante mantém o PH da pele normal e forma uma barreira contra microrganismos. O óleo evita que a pele perca água, enquanto o hidratante penetra para repor a água perdida.

Quais os cuidados com a alimentação?

A alimentação deve ser variada e saudável no verão para mantermos o aporte adequado de proteínas, vitaminas e antioxidantes. Isso, aliado com os cuidados dermatológicos, vão adiar os sinais do envelhecimento.

Que cuidados devemos tomar com a fotoproteção?

O protetor solar deve ser usado diariamente, mesmo em dias nublados. No verão seu uso deve ser intensificado e o fator de proteção solar (FPS) deve ser 30 ou superior. A aplicação deve ser uniforme e não é bom deixar áreas desprotegidas. O protetor deve ser reaplicado pelo menos a cada 2 horas, de preferência.

Há algum tratamento de pele que deve ser evitado durante o verão?

Todo o tipo de procedimento pode ser realizado durante o verão, mas sempre com cautela extra quanto à proteção solar, é claro. Todavia, é interessante evitar tratamentos com laser/luz intensa pulsada, peelings químicos e o uso tópico de alguns ácidos, pois demandam maiores cuidados com a exposição à radiação solar.

  Voltar